Você já pensou em morar no litoral? Na verdade, você já pensou sobre os seus sonhos? Já estamos acostumados com o trabalho, pegar trânsito, pagar as contas e se esforçar para sobrar um dinheiro no fim do mês, para, nas férias, talvez conseguir fazer uma viagem para descansar e relaxar. Com todo esse esforço, acaba não sobrando tempo para pensarmos no nosso bem-estar e saúde (seja física ou mental).

 

 

          Os dados de uma pesquisa recente realizada pela Isma-BR mostram alguns números que nos fazem refletir sobre a qualidade de vida no Brasil: nove em cada dez brasileiros no mercado de trabalho apresentam sintomas de ansiedade (do grau mais leve ao incapacitante). Cerca de 47% das pessoas sofre de algum nível de depressão, recorrente em 14% dos casos. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que uma em cada quatro pessoas sofrerá com um transtorno da mente ao longo da vida.

 

          A boa notícia é que o litoral está na contramão de todos esses dados! Isso porque mar, sombra e água fresca são benéficos para a saúde. E quem nos mostra isso são os estudos e pesquisas que apontam que o contato com o litoral pode ajudar a controlar o estresse do seu cérebro. E se apenas o contato com a beira-mar pode propiciar isso, imagine morar na cidade de Torres, pertinho do oceano? Por isso estamos aqui, para te mostrar as 5 vantagens cientificamente comprovadas de morar na praia.

 

 

          O estudo publicado na Health & Place, um periódico bimestral sobre saúde, apontou que as pessoas que vivem próximas do oceano têm uma qualidade de vida melhor (com cargas menores de estresse), em relação a quem mora na cidade ou no campo. A partir da pesquisa e análise de resultados, Amber L. Pearson, uma das autoras do estudo, constatou que o responsável por isso é o efeito que a cor azul tem nas pessoas.

 

          Segundo a autora, a cor tem relação direta com a diminuição do estresse psicológico, fato que não foi constatado com a cor verde, por exemplo. "Muitos espaços verdes são, na verdade, artificiais, como campos de futebol e playgrounds em condomínios. O mesmo não vale para o oceano, por exemplo, que não pode ser igualado a uma piscina", explicou a pesquisadora.

 

 

 

          Quem fala isso são os pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra. De acordo com eles, os sons do mar ativam o córtex pré-frontal do cérebro, área associada a emoções e autorreflexões, que contribui para que a nossa capacidade de bem-estar e autoconhecimento sejam ampliadas.

 

          Além disso, o professor de saúde comportamental da Universidade do Estado da Pensilvânia, Orfeu Buxton, disse que os sons repetitivos das ondas são tranquilizantes. Ele também reforçou o fato de que o som das ondas nos ajuda a entrar em estado de meditação, prática que ajuda a fortalecer o cérebro.

 

 

          Até agora falamos sobre um contato mais distante com o oceano. Mas você sabia que tomar um banho de mar é extremamente benéfico para o nosso organismo? A água marinha está repleta de sais minerais, oligoelementos e ainda tem cerca de 27 gramas de cloreto de sódio por litro. Os animais e vegetais proporcionam ao oceano uma incrível reserva nutritiva e um complexo bioquímico benéficos para o nosso bem-estar e saúde.

 

          Além de tudo isso, a água do mar contém numerosos elétrons em dissolução que têm a capacidade de recarregar naturalmente as energias do nosso organismo cansado. Isso porque quando entramos no mar, absorvemos os íons negativos e enchemos o nosso corpo de sais minerais. Doze minutos são o suficiente para que a nossa pele capte tudo isso para atingir a derme e se espalhar por todo o corpo. Os íons de potássio, por exemplo, chegam até a nossa fibra muscular, enquanto os íons de cálcio consolidam os ossos.  

 

 

          Falamos ali em cima sobre como um simples banho de mar proporciona a regeneração natural do organismo. E agora precisamos dizer que o ar marinho também contribui para o nosso bem-estar. Isso porque ele é limpo pelos ventos, rico em oligoelementos e capaz de estimular a dilatação dos capilares e acelerar as trocas entre o corpo humano e o meio marinho.

 

          Dessa forma, assim como no contato com a água, o corpo se recarrega ficando menos estressado e com ganho de tônus. Além disso, o ar oceânico também contém íons de de hidrogênio carregados negativamente que ajudam equilibrar os níveis de serotonina, proporcionando a diminuição da depressão e uma melhora no sono.

 

 

          Além de tudo o que citamos, morar no litoral nos incentiva a praticar exercícios e a ter uma vida mais saudável e equilibrada. Esses elementos são indispensáveis para viver com mais qualidade de vida e saúde.

 

          De quantas razões você precisa para realizar, de uma vez por todas, o seu sonho de morar no litoral? O que falta para uma vida com mais qualidade, saúde e bem-estar? Entre em contato com a gente! Juntos, podemos encontrar o imóvel certo para você!

 

 

 

          Fontes: Revista Exame, Época Negócios, A Revista da Mulher, Portal Minha Vida.