Comemorado no terceiro sábado de junho, o Dia Internacional do Surf é uma calorosa data em que voltam os olhares para o surf como esporte e estilo de vida. Na festividade, o surf é celebrado e apresentado para novos e futuros participantes. Não é apenas o surf competitivo que recebe atenção: eis uma data para relembrar as tradições que originaram o esporte. São incluídos, também, diálogos sobre iniciativas sustentáveis em prol dos oceanos. 

 

Estabelecido em 2005 pela Surfing Magazine e The Surfrider Foundation, o Dia Internacional do Surf tem o intuito de ser um sábado diferente dos habituais torneios ao redor do planeta: festas, eventos, exibições de filmes e documentários, palestras e limpezas de praias são apenas algumas atividades que ocorrem em muitos países. Na América Latina, a Argentina, o Brasil e o Peru costumam mobilizar esforços todo terceiro sábado de junho. Quer conhecer um pouco mais sobre o esporte? Preparamos uma série de informações!

 

Origens do esporte

Povos peruanos e polinésios originaram a prática de enfrentar o mar e deslizar sobre as ondas. Enquanto nossos vizinhos do Peru utilizavam grandes construções de junco, os havaianos produziam as pranchas de madeira chamadas de alaia. Ambos os locais exaltam a conexão entre as tribos e a natureza. Essa característica persiste até hoje, tornando o surf tão apreciado como estilo de vida. A popularização iniciou com o campeão olímpico de natação Duke Kahanamoku (em 1912) e se consolidou na Califórnia entre as décadas de 1940 e 1970. O Brasil, em 1950, já recebia alguns corajosos pioneiros ao longo do seu litoral.

 

Surf no RS e em Torres

Pouca gente sabe, mas a nossa cidade é tradição no surf gaúcho e referência no Brasil. Aqui, foram surfadas as primeiras ondas do Rio Grande do Sul, firmando Torres como um pico consagrado para a prática desde 1955. O primeiro Campeonato Gaúcho de Surf ocorreu em 1968, na Praia da Guarita, com patrocínio do Correio do Povo. Em 1973 e 1974, A SAPT promoveu campeonatos por aqui e, em 1983, surgiu a Associação dos Surfistas de Torres – AST. Nomes importantes do surf gaúcho e brasileiro surgiram em nossa praia, popularizando o surf em suas mais variadas vertentes ao longo de diversas gerações. Celeiro de grandes esportistas, nossas praias permitem a prática do surf tradicional e de modalidades como stand up paddle, bodyboard e kite surf, por exemplo.

 

A Praia dos Molhes é a grande favorita, mas não é o único espaço: a Praia da Cal também é palco de boas ondas e a já citada Guarita traz uma bela visão, mas exige uma boa experiência. Embora não seja uma extensão ‘surfável’, a Ilha dos Lobos possui uma das maiores ondas do Brasil. Atualmente, são muitos e muitos jovens que iniciam a prática do esporte em nossas praias, fortalecendo e perpetuando a cultura do surf em nossa cidade. Na Praia dos Molhes, não deixe de conhecer o Chalé Memorial do Surf e o Monumento ao Surfista.

 

Com a ajuda de grandes nomes brasileiros, o esporte tem crescido com sucesso ao redor do planeta, movimento um mercado gigantesco. Presença confirmada nos próximos Jogos Olímpicos (com data prevista para 23 de julho de 2021), o surf fará sua tão aguardada estreia. Você não precisa esperar tanto tempo para conhecer tão bem. Aproveite nossas praias e ondas. Morar em uma cidade tão reconhecida e famosa por suas ondas, é uma grande recompensa. Viva na praia e saiba aproveitar o ano todo!